Legalização junto ao Corpo de Bombeiros
Legalização junto ao Corpo de Bombeiros
7 novembro, 2017
Quando o Corpo de Bombeiros exige para-raios
23 novembro, 2017
Ver Tudo

Qual Extintor de Incêndio devo comprar?

Qual Extintor de Incêndio devo comprar

Extintor de Incêndio. Qual extintor de incêndio devo comprar? Quantos extintores de incêndio devo comprar? Quando devo recarregar meu extintor de Incêndio?  Aonde devo colocar meu extintor de incêndio?

Antes mesmo de começarmos a responder as principais dúvidas sobre extintores de incêndio ressaltamos que compete ao Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, regulamentar, exigir e fiscalizar tudo o que se refere à prevenção e combate a incêndios. Contudo, se você possui um estabelecimento, pretende abrir um ou está adquirindo de outra pessoa, não basta comprar extintores de incêndio e os instalar em seu estabelecimento. Você deve providenciar a sua legalização junto ao Corpo de Bombeiros e a aquisição dos extintores é apenas uma fase desse processo. No link a seguir você pode entender o passo a passo para a legalização de sua empresa junto ao Corpo de Bombeiros (seja qual for o tipo de empresa). Clique Aqui

Primeiramente sinta-se privilegiado e honrado em ter manifestado a preocupação em proteger seu patrimônio e as pessoas que o frequentam, infelizmente nosso país ainda não possui uma cultura voltada para a prevenção o que muitas vezes pode trazer danos irreparáveis e custos exorbitantes. Dessa forma se você ainda não tem condições de legalizar sua empresa junto ao Corpo de Bombeiros, seja qual for o motivo, proteger seu estabelecimento já é um bom começo, mas não deixe de atentar para a questão da legalização evitando ações fiscalizatórias dos órgãos competentes. A partir de agora vamos responder as principais perguntas sobre extintores de incêndio.

Qual extintor devo comprar?

O extintor de incêndio é o dispositivo preventivo mais simples exigido pelo corpo de bombeiros, entretanto a presença de outros dispositivos mais complexos, como canalização preventiva (com bombas, mangueiras, esguichos,…), canalização de chuveiros automáticos, e até mesmo brigada de incêndio não exclui a exigência do extintor de incêndio. Portanto se seu estabelecimento possui ou está localizado em um prédio que possui esses dispositivos, mesmo assim você deve colocar extintor na sua empresa.

Os extintores diferenciam-se pelo tipo do agente extintor que armazena (água pressurizada, dióxido de carbono – CO2 e pó químico seco – PQS) e pela quantidade armazenada, expressa em litros para os extintores de água e em quilograma para os demais. Será com base nesta informação que vamos escolher o melhor extintor para seu estabelecimento.

Com relação à capacidade do extintor o corpo de bombeiros estabelece 10 litros para os extintores de água e 6 Kg para os demais com unidade extintora mínima. Sendo assim se você for comprar um extintor de água, este deverá possuir a capacidade de 10L, se for comprar um extintor de PQS (pó químico seco) ou CO2 (dióxido de carbono), este deverá possuir a capacidade de 6 Kg. Estes extintores são facilmente encontrados no mercado.

Para escolhermos o tipo de extintor devemos identificar o material encontrado na edificação. Cada agente extintor é mais eficiente para determinado tipo de material, sendo em algumas situações contraindicado o seu uso (extintor de água não é indicado para equipamentos energizados).

Baseado nessa linha de raciocínio indica-se o extintor de água pressurizada para materiais sólidos (classificados como classe A) como madeira, papel, tecido, cortiça, plástico, entre outros. Em materiais energizados (classificados como classe C) como quadro elétrico, computadores, televisores, rádios, entre outros, devemos utilizar extintores de CO2, visto que este não conduz energia elétrica evitando o choque elétrico pelo operador.  Os extintores de PQS (pó químico seco) são usados em líquidos inflamáveis (classificados como classe B), sendo comumente exigidos em postos de abastecimentos, estacionamentos, centrais de gases, oficinas, entre outros locais. Este também pode ser utilizado em materiais energizados, porém não são muito indicados, pois o agente químico danifica circuitos e sistemas inutilizando equipamentos como computadores, televisores, e outros equipamentos eletrônicos.

Agora você já pode escolher o extintor mais indicado para o seu caso visando a maior eficiência e economia e evitando a aquisição de um produto que posteriormente não será útil, pois o corpo de bombeiros exigirá um extintor de tipo diferente do que você adquiriu.  

Quantos extintores de incêndio devo comprar?

O Corpo de Bombeiros classifica as edificações em riscos pequeno, médio e grande e baseado nessa divisão estabelece a área de cobertura dos extintores. De forma bem simples e para fácil entendimento temos: 01 (um) extintor de incêndio cobre 250m2 no risco pequeno, 150m2 no risco médio e 100m2 no risco grande. O quadro abaixo foi extraído do COSCIP – Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico.

Risco Área Máxima a ser Protegida por Unidade Unidade Extintora Distância Máxima para o Alcance do Operador
Pequeno 250m² (duzentos e cinqüenta metros quadrados) 20m (vinte metros)
Médio 150m² (cento e cinqüenta metros quadrados) 15m (quinze metros)
Grande 100m² (cem metros  quadrados) 10m (dez metros)  

 

Na prática o primeiro passo é identificar a área total construída do seu estabelecimento, muitos tomam por base o IPTU, mas lembramos que o Corpo de Bombeiros vistoria os locais no processo de legalização, portanto sugerimos que você verifique as medidas do local e identifique a área correta para evitar problemas. Segundo passo é identificar em qual risco a sua edificação está enquadrada, isso será possível consultando a resolução Nº 109 anexa ao Código de segurança Contra Incêndio e Pânico, disponível para consulta no site da Diretoria Geral de serviços Técnicos (www.dgst.cbmerj.rj.gov.br).

Com essas informações passamos para uma continha simples, basta dividir a área total construída do local pela área máxima a ser protegida de acordo com o risco:

ATC (área construída) / área a ser protegida = Nº de extintores

Exemplo: Se eu tenho uma edificação comercial com 300m2 de área construída faremos o calculo a seguir:

Edificação comercial é enquadrada no risco médio, conforme a resolução 109.

ATC (área construída) / área a ser protegida = Nº de extintores

300m2/ 150m2(risco médio) = 2 extintores de incêndio.

O Corpo de Bombeiros também leva em consideração a distância para o operador, mas por hora o cálculo acima é suficiente.

 

Quando devo recarregar meu extintor?

Agora se você já possui extintor instalado na sua empresa, tão importante quanto a correta aquisição do extintor é a manutenção do mesmo.

Somente empresas credenciadas no Corpo de Bombeiros podem realizar recarga e manutenção de extintores de incêndio, tendo essa informação como premissa seguem algumas dicas para a manutenção.

 

  1. Os extintores devem ser recarregados anualmente ou toda vez que forem utilizados;
  2. Um extintor utilizado, não deve ser reaproveitado mesmo que não tenha consumido todo o agente extintor;
  3. Os extintores possuem lacres, que só devem ser rompidos para utilização, bem como certificação do INMETRO e identificação de validade tanto do agente extintor como do cilindro;
  4. Sempre que realizar a recarga exija nota fiscal do serviço, ela será exigida pelo corpo de bombeiros;
  5. Se não utilizou seu extintor antes de coloca-lo para recarga aproveite para utilizar e treinar um de seus funcionários isso ajudará a familiarizá-lo com o aparelho o que ajudará muito caso haja necessidade de uso em algum momento;

 

Aonde devo colocar meu extintor?

Para posicionarmos os extintores no local adotaremos dois aspectos:

O primeiro aspecto é que no processo de legalização junto ao corpo de bombeiros muitas vezes devemos apresentar um projeto de segurança contra incêndio, onde nas plantas deveremos identificar o posicionamento dos extintores no local, essa situação é a ideal e por não ser tão simples sugerimos que procure uma empresa para auxiliá-lo, a Sparta Engenharia de Incêndios é referência em elaboração de projetos de segurança contra incêndio e pânico.

No segundo aspecto devemos atentar para a distância máxima do operados, atentar para que os extintores estejam de fácil acesso, que não obstruam saídas de emergências e que estejam compatíveis com o tipo de material existente no local, conforme verificamos no início da matéria.

Diante desses dois aspectos você pode adequar o posicionamento de forma que melhor lhe atenda, respeitando as legislações e considerando as peculiaridades do seu estabelecimento.   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *